domingo, 31 de agosto de 2008

Antalgia

Dor que a cada dia dilacera os sentimentos de solidariedade humana, dores de parto, dores de abortos, dores de picadas na veia, para curar a dor de outra doença ou para aliviar as dores da vida, dores de cabeça por falta de comida ou por falta de amor, compreensão ou apenas por falta de uma mão, dor de cotovelo pela incapacidade, intransigência, incompetência, dores visíveis, dores invisíveis, dores incompartilhadas, dores de arrependimento, dores que a todo o momento nos tiram a paz e nos deixam incapazes de levantarmos e seguirmos a qualquer lugar que seja, dores do passado ainda recente, dores físicas ou sentimentais, sempre dores, sempre amargas e disciplinadoras, dores fantasiosas, dores surreais, dores profundas e artificiais, sempre dores, dores que nem sempre combatemos.

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Férias

Queridos leitores estarei em férias a partir de hoje, portanto, só após essas merecidas férias voltarei a escrever. Contudo, prometo trazer umas fotos legais.

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Pequim 2008

A maior festa esportiva do planeta! A maior confraternização entre nações!

Essas são as manchetes dos jornais, porém, em cada olimpíada a competição extravasa o âmbito esportivo e acaba assumindo muitas das vezes o xenofobismo, as disputas políticas e outras querelas. A Olimpíada de Berlim em 1936 ficou marcada pelas teorias sobre a supremacia racial ariana do Regime Nazista. Na Olimpíada de Munique em 1972 houve um ato terrorista do grupo denominado Setembro Negro; durante a Guerra-fria houve boicote dos EUA aos jogos olímpicos de Moscou em 1980 e em 1984 a vez foi do bloco socialista boicotar as olimpíadas de Los Angeles.

Algumas manifestações políticas, religiosas e raciais já marcaram a Olimpíada de Pequim. Tibetanos e muçulmanos reivindicam territórios independentes e atletas de vários países aderiram pró-reivindicação. A delegação olímpica estadunidense optou nesta quarta-feira nomear o sudanês Lopez Lomong, cidadão dos EUA desde 2007, como porta-bandeira do país na cerimônia de abertura. É uma crítica clara contra o governo chinês que mantêm relações econômicas com o Sudão – país acusado de fazer “vistas grossas” ao genocídio em Darfur.

Alguns ciclistas estadunidenses chegaram a Pequim usando máscaras, uma crítica à poluição. Estranho que, se a China é o país que mais polui o planeta os EUA estão logo em seguida. Mas isso vale ser discutido em outro post.

segunda-feira, 4 de agosto de 2008